A situação é real: o mercado varejista está passando pela transformação digital. Não é mais possível sobreviver somente com as lojas físicas, já que o consumidor do século XXI busca diversidades de canais (omnichannel) para fazer suas compras.

Com as novidades em tecnologia, as lojas usufruem de plataformas que rastreiam os clientes dentro do seu comércio, mapeando por quais produtos passou e mais chamou sua atenção. Combinando-as com outras ferramentas, a empresa pode, por exemplo, enviar um e-mail marketing sobre os produtos de que ele gostou, mas, no momento, não comprou, reforçando, assim, seu interesse e fomentando as vendas.

O empresário que souber incorporar o online ao seu mercado varejista verá seu negócio crescer e se fortalecer perante seu público. Veja como o virtual e o físico podem trabalhar junto.

Como é possível incrementar o mercado varejista?

Sistemas de big data, clould computing, wi-fi, business analytics, dentre outros, vieram para desenvolver e modificar a maneira de se fazer negócio, tornando-a mais eficiente. O foco deixa de ser a venda, passando para o relacionamento e a experiência do cliente.

Anteriormente, as vendas pelo e-commerce ocorriam pelo computador, enquanto hoje o smartphone deu mais autonomia para essa ação. Na rua ou em qualquer outro lugar, uma pessoa pode realizar a compra do que deseja, inclusive em sua loja física.

Os clientes querem a interação por compartilhamento, recomendações, novas experiências e até mesmo poder customizar algum produto. As redes sociais permitiram essa alteração no comportamento dos consumidores. Assim, os PDV (Pontos de Vendas) terão de trazer os diferenciais do mundo virtual para o físico.

O que o consumidor avalia na hora da compra?

Hoje, para tudo que vai ser lançado ou modificado dentro de uma loja, deve-se considerar o comportamento do consumidor, porque será ele quem irá adquirir e utilizar seus produtos. E, para isso, ele julgará vários fatores, como:

  • o preço em relação à qualidade, utilidade do produto e em que este irá melhorar sua vida;
  • sua identidade visual, pois ela determina e transmite os valores de sua marca e se o cliente compartilha com as intenções da mesma;
  • o design da embalagem, que atrairá o consumidor, é outro ponto analisado por ele;
  • as avaliações junto a sua rede de amigos ou que constam na página online sobre o produto também são determinantes para efetuar a compra.

Esses aspectos demonstram que a decisão de compra vai além do produto em si. A empresa precisa desenvolver valores para a sua marca para que ela solucione o problema do cliente de forma que traga satisfação.

Para que sua marca tenha boas conexões com os consumidores e obtenha relevância social, o remodelamento do comportamento de compra dos clientes exige que as lojas se aperfeiçoem, assim como o marketplace virtual.

Como os comportamentos dos consumidores afetam o mercado varejista?

Os consumidores virtuais querem encontrar nas lojas físicas opções de produtos, por meio de uma tela:

  • para buscar e comparar produtos em um monitor;
  • ver uma vitrine virtual com informações e se há a mercadoria no estoque;
  • comprar produto da marca na loja, pelo celular, tablet ou PC;
  • encontrar com os vendedores da loja a integralização do pedido, caso queira fazer a compra online e retirar o produto na loja, fortalecendo o conceito omnichannel.

Apesar de ainda assistirem TV, ler jornais, revistas e livros, eles acompanham todas as informações em diferentes formatos. E, ainda, compartilham suas impressões com sua comunidade nas redes sociais. Alguns clientes podem ter ações mobile e outras offline, outros são totalmente online e há, ainda, os que fogem da tecnologia. O público é diverso e é preciso dar boa experiência e atendimento a todos nesse novo modelo do mercado varejista.

Este texto esclareceu suas dúvidas? Compartilhe nas redes sociais e permita que mais empresários entendam as mudanças que estão ocorrendo nas lojas físicas e online.