Existem diversas soluções disponíveis no mercado digital para cobrar clientes por um produto ou serviço. Cada uma delas tem suas vantagens e desvantagens. A escolha do fornecedor influencia nas vendas e no sucesso da empresa. Portanto, é essencial que seja feita uma análise comparativa minuciosa. Neste artigo, apresentaremos as mais comuns formas de pagamento no e-commerce brasileiro e daremos algumas dicas para ajudá-lo a escolher melhor com quais trabalhar. Acompanhe!

As principais formas de pagamento no e-commerce

Existem diversos meios para cobrar o cliente na internet, podendo incluir até mesmo transferência bancária e pagamento em dinheiro, na entrega. Isso varia conforme o porte da empresa, a região em que atua, a plataforma que utiliza, entre outros aspectos. A taxa de conversão do carrinho de compras e a confiança do cliente na empresa também são fatores que influenciam.

Confira a seguir as três formas de pagamento mais comuns no Brasil.

Cartão de crédito

É o meio mais utilizado pelos consumidores para pagar por compras na internet, especialmente para tickets de alto valor. Praticamente qualquer pessoa pode ter um e o método oferece segurança ao cliente, além de acumular milhas que podem ser trocadas por produtos ou serviços. No e-commerce, também é a forma que costuma aprovar pedidos mais rapidamente.

Boleto bancário

É o segundo principal meio de pagamento no e-commerce, principalmente devido aos descontos que oferece. De acordo com o Webshoppers, edição 37 da E-bit, em 2016, 42,2% das compras tiveram pagamento à vista, sem parcelamento. Em 2017, esse número aumentou para 49,8%. O pagamento também é facilitado, pois o cliente pode pagar o boleto em lotéricas, caixas eletrônicos e farmácias, por exemplo. Além disso, é visto com segurança tanto pelos consumidores quanto pelos vendedores.

Cartão de débito

As maiores empresas de e-commerce também costumam oferecer pagamento em débito, por transferência online. Ao escolher essa forma, o cliente é direcionado ao seu internet banking, para que o valor seja debitado em sua conta corrente, como acontece no Itaú Shopline, por exemplo.

Dicas para definir os meios de pagamento

Para escolher os melhores métodos, o empreendedor deve avaliar as vantagens e desvantagens de cada opção.

Análise do público-alvo

Estudar os comportamentos dos atuais clientes é uma forma de compreender o perfil do público-alvo, suas condições financeiras e se preferem parcelar no cartão de crédito ou pagar com desconto no boleto.

Cobrança de taxas

As formas de pagamento no e-commerce podem cobrar um valor fixo ou um percentual da venda. Portanto, é preciso analisar como é feito o custo do serviço e seus impactos financeiros, acompanhando o crescimento do negócio.

Análise do mercado

Saber quais meios de pagamento são oferecidos pela concorrência e acompanhar as tendências do mercado também é importante, pois podem surgir novidades que o lojista precisará adaptar, como oferecer pagamentos por Bitcoin, por exemplo.

Prazos de recebimento

O gestor deve analisar também o tempo médio para aprovar uma venda e em quanto tempo ele recebe o valor total de cada forma de pagamento, pois isso influencia muito no fluxo de caixa e na lucratividade da empresa.

Segurança

Algumas soluções de pagamento têm sistemas para detectar fraudes antes que elas aconteçam, mas o reembolso nem sempre é garantido. Portanto, a análise do contrato é importantíssima, inclusive verificando se a segurança cobre chargebacks, que ocorrem quando o consumidor age de má fé.

Otimização da taxa de conversão

Estudar a performance de cada meio de recebimento ajuda o gestor a otimizar a taxa de conversão do carrinho de compras de seu e-commerce. Em primeira análise, o boleto pode ser a melhor opção, devido à segurança. Porém, nem todo consumidor que escolhe essa forma de pagamento realmente efetua o pagamento até o vencimento.

Diversificação

Diversificar as formas de pagamento no e-commerce empodera o cliente e evita carrinhos abandonados. Antes de tudo, é preciso verificar se há a possibilidade de integração entre os fornecedores escolhidos e a plataforma da loja virtual. Independente das opções, o consumidor deve ser informado com clareza, no rodapé do site ou em uma página de perguntas frequentes, por exemplo, para não causar frustrações.

Você já tem uma loja virtual? Quais meios de pagamento utiliza? Compartilhe suas experiências com outros empreendedores na seção de comentários abaixo!