Operar com uma loja virtual apresenta diversos benefícios, tanto ao lojista como ao público. Porém, muitas decisões importantes devem ser tomadas para garantir boas vendas. Um desses pontos é a forma de pagamento dos pedidos.

O público deve ter um bom leque de opções, como débito na conta-corrente, cartão de crédito e também a alternativa do boleto.

Então, para que você entenda melhor como utilizar o boleto no e-commerce, criamos este conteúdo. Confira!

Por que oferecer muitas opções aos consumidores?

Quando você entra em uma loja virtual, adiciona produtos ao carrinho de compras e vai até o processo de checkout, não é esperado encontrar dificuldades para realizar o pagamento do pedido, certo? Porém, se as formas de pagamento forem limitadas, isso pode se tornar um grave problema!

Muitas pessoas não têm cartão de crédito ou até mesmo de débito e optam pelo boleto bancário. É a opção mais simples, pois qualquer um pode usá-la.

Criando várias possibilidades, você não limita o seu público-alvo e pode gerar mais vendas.

Qual é a melhor opção para o lojista?

É muito importante oferecer variadas possibilidades para o pagamento, mas deve-se conhecer as taxas e valores que cada alternativa apresenta. As operadoras de cartão de crédito, por exemplo, podem cobrar entre 3% e 8% de taxa em cada negociação, sem contar com os juros nos parcelamentos.

Já a condição de débito na conta-corrente pode ser a mais atrativa ao lojista pela agilidade, segurança e baixo custo.

Porém, como já dissemos, o boleto é muito requisitado, e não o ofertar pode limitar suas vendas. Nessa opção, há dois modelos: boleto registrado e não registrado.

No primeiro, a taxa é cobrada do lojista assim que o documento é emitido, sendo pago ou não. Porém, o controle de quem pagou e quando fez o acerto é maior.

Já no boleto sem registro, a taxa é cobrada somente se o documento for quitado, mas a gestão é pior. Além disso, essa modalidade será extinta ainda neste ano de 2018.

Como utilizar o boleto no e-commerce?

Oferecer o boleto no e-commerce como forma de pagamento é importante para ampliar as possibilidades, mas é preciso ter atenção com as condições.

O fim do boleto sem registro já foi decretado, e isso pode impactar as negociações das empresas. Agora, a taxa será sempre cobrada na emissão, independentemente de o cliente fazer o pagamento ou não.

Então, a principal dica, apesar de parecer óbvia, é criar ações para garantir que seus clientes façam a quitação. Isso inclui:

  • enviar o boleto por e-mail ao cliente;
  • enviar alertas para os clientes quando a data de vencimento estiver próxima.

Essas medidas podem ajudar a reduzir a diferença entre a emissão e conclusão do boleto no e-commerce. Além disso, sempre considere o valor das taxas cobradas no momento de calcular os preços de seus produtos.

O que muda com o fim do boleto sem registro?

No boleto sem registro, a empresa emitia o documento e o repassava diretamente ao cliente. O banco não tinha esse conhecimento e não conseguia identificar o pagamento. O boleto podia ser pago em qualquer agência e a taxa só era cobrada na quitação.

Com o boleto registrado, a empresa gera o boleto e envia a remessa ao banco, contendo as informações para um maior controle. Isso gera uma maior segurança ao lojista, minimizando as fraudes. Entretanto, o valor será cobrado no momento da emissão.

Portanto, como vimos em nosso artigo, oferecer o boleto no e-commerce é, sim, uma boa opção, mas que deve ser estudada, com os valores de cobrança bem conhecidos.

Faça uma análise da variação entre a emissão e pagamento e tente reduzir essa diferença. Alinhe esses gastos com sua margem de lucro para que a saúde financeira do negócio não seja prejudicada.

Curtiu nosso conteúdo sobre o boleto no e-commerce? Ajude-nos a divulgar esse conhecimento compartilhando-o em suas redes sociais!