O mundo nunca viveu um momento tão próspero em termos de comércio, o que se deve especialmente à informática e ao advento da internet. Entre as várias opções de venda digital, uma das principais e mais promissoras é a do e-commerce.

Segundo uma pesquisa recente da Webshoppers, que publica por meio da Ebit|Nielsen, uma das maiores autoridades na área, no último ano o comércio eletrônico cresceu quase 50%. Ou seja, foi uma das maiores curvas das últimas duas décadas.

Portanto, se alguém ainda tinha dúvidas sobre a venda online e o poder da internet, as dúvidas acabaram. Trata-se, realmente, de uma novidade que veio para ficar, e que transforma cada vez mais os hábitos de compra e venda das pessoas.

Logo, não é difícil imaginar o quanto é importante para uma empresa ou marca qualquer firmar sua presença na internet. Contudo, como vimos no começo, hoje as opções são tantas que as pessoas podem acabar desanimando.

São redes sociais, motores de busca, blogs, marketplaces e tantas outras estratégias que pode ficar difícil se orientar. Além disso, mesmo que a pessoa já tenha se decidido pelo e-commerce e pela loja virtual, ainda assim os desafios só estão começando.

De fato, um dos maiores traços da internet é que ela é bem mais democrática do que formatos antigos de mídia, como televisão e rádio. Nela, qualquer empresa pode ganhar destaque e aparecer nas maiores vitrines do mundo, que são as digitais.

Aí é que entra o engajamento, e por isso decidimos escrever este artigo explicando como ele é importante e a maneira de atingi-lo de modo sustentável. Afinal, engana-se muito quem pensa que o resultado depende apenas de números genéricos.

É ilusão ficar esperando visualizações, seguidores e curtidas, como ocorre nas redes sociais. O e-commerce tem suas regras próprias, e se a empresa não souber conduzir os esforços iniciais, é bem provável que acabe desistindo no meio do caminho.

Então se você quer obter as melhores dicas que existem nessa área, e realmente mudar seu comércio eletrônico de patamar, basta seguir adiante na leitura.

Por dentro do conceito de “buyer persona”

Não é possível falar em engajamento sem falar no público, concorda? Ou seja, não tem como você buscar mais atenção e mais envolvimento por parte dos visitantes da sua loja virtual se você não sabe quem eles são, como pensam e o que querem.

Imaginemos, por exemplo, uma indústria fabricante de equipamentos para construção civil. Qual não é a bagagem que ela precisa ter para compreender as demandas e as oscilações de mercado mais pertinentes ao seu segmento?

O primeiro passo aqui é compreender que o conceito de público-alvo está um pouco superado. Não se trata de anulá-lo, pois ele continua sendo importante, de modo que você precisa saber para que parcela da população seus esforços se voltam.

Contudo, esqueça aquela ideia de que basta saber qual é a idade, o gênero e o poder aquisitivo da sua carteira de clientes. Como se a partir disso você pudesse definir todas suas estratégias comerciais.

Hoje existe a noção de buyer persona (persona do comprador), que vai muito além. Ela não se baseia apenas na soma ou média dos seus clientes, mas em perfis. Além disso, as perguntas que precisam ser feitas aqui são sensivelmente diferentes, tais como:

  • Quem exatamente é o meu cliente?
  • O que ele costuma fazer durante o dia?
  • Como ele costuma consumir informação?
  • O que ele faz quando não está a trabalho?
  • O que ele espera das soluções desse segmento?
  • O que ele odeia que uma empresa faça?
  • Entre outras que seguem nessa linha.

Este ponto é fundamental, pois o engajamento gira em torno disso. Não é possível fazer as pessoas acreditarem e até se empolgarem com sua marca, se você não tiver essa compreensão profunda a respeito delas.

Pode ficar a dúvida: “Ah, mas se a empresa lida com microscópio para laboratório, qual a função de saber o que seu cliente faz nas horas vagas?”. É muito simples, pois o fato é que a internet simplesmente tornou tudo muito mais unificado do que antes.

Hoje seu cliente em potencial está navegando nas redes sociais e, de repente, depara-se com um anúncio de um produto que ele pesquisou na semana passada. Os algoritmos são pensados para isso mesmo, daí a importância de levar este ponto a sério.

Como gerar conteúdo e participação do público?

Um erro muito comum no mundo do e-commerce é achar que basta colocar uma loja virtual no ar e, pronto, os clientes virão automaticamente. Ou, o que é pior, “virão com o tempo”, quando na verdade é preciso ter estratégias desde o primeiro dia.

Na verdade, as estratégias precisam vir antes do dia do lançamento. Afinal, se você trabalha com etiquetas adesivas personalizadas, você não vai colocar o site no ar sem saber ao certo qual é o próximo passo, concorda?

Uma dica de ouro é desenvolver conteúdo de qualidade por meio de um blog, que você pode anexar ao próprio e-commerce. Hoje isso é muito comum, e realmente aumenta a autoridade da sua marca, pois demonstra que você é uma referência na sua área.

Quando a pessoa lê algum artigo bom em determinado tema, a probabilidade de ela consumir aquela solução com você é muito maior. Com isso, o engajamento também pode crescer consideravelmente.

Afinal, você pode aproveitar aquela área em que gera conteúdo para abrir espaço, ou mesmo incentivar, a participação dos seus leitores/clientes. Essa é a alma do engajamento, pois não adianta ter muitos leitores caso eles não participem do seu sucesso.

Existem serviços que são muito populares e bastante requisitados, como abertura de empresa. Mas é preciso tomar cuidado para as pessoas não usarem seu site como um balcão de dúvidas.

Portanto, a maneira de garantir que seus conteúdos e sua loja virtual andem juntos, gerando resultados incríveis já no curto prazo, é gerando engajamento real e chamando os clientes para participarem de maneira eficiente.

Ofertas incríveis, divulgação e anúncios

A geração de conteúdo remete ao que hoje se chama prospecção passiva. Mas não pense que você precisa ficar preso a ela, embora não possa dispensá-la caso queira gerar autoridade. Há outro modo de aumentar o engajamento e as vendas.

O segredo é atacar com duas frentes: além da prospecção passiva, a ativa. Neste caso, se você faz locação de guindaste, por exemplo, não hesite em criar promoções arrasadoras, focando todos os esforços em preços e prazos que sejam realmente atrativos.

Mas não se trata apenas de baixar o preço ou o prazo. Há outras maneiras incríveis de fazer grandes ofertas, como aproveitar algumas datas do ano, seja em função de uma data especial para o seu segmento, seja um feriado ou a famosa Black Friday.

Ainda há outra vantagem a tirar das ofertas: com elas você consegue mensurar quais são os produtos mais atraentes do seu portfólio. A função disso é que depois você poderá investir em anúncios e propagandas voltadas para esses mesmos itens.

Claro que não faz sentido, para quem trabalha com tecido jacquard para cortina, pagar para expor todo o seu portfólio, pois as opções podem ser muitas, e a diferença entre um produto e outro, muito pequena.

Ademais, os principais anúncios que você pode fazer são os dos motores de busca, conhecidos como links patrocinados. Por meio deles seu tráfego cresce consideravelmente, e com ele o engajamento e os resultados gerais.

Fazendo sorteios e monitorando os feedbacks

Como vimos, algumas estratégias antigas continuam fazendo sentido no universo digital, tanto quanto faziam na época da televisão e do rádio. A mesma situação vale para outras táticas, como a dos sorteios de produtos.

Qualquer site que souber fazer bons sorteios, certamente vai chamar a atenção do público e conseguir aumentar o engajamento. Eles funcionam muito bem para produtos e vendas, mas também para serviços como recarga de extintores.

Neste caso, por exemplo, o que o vencedor pode ganhar é uma quantidade específica de recargas, o que ainda tem a vantagem de estreitar os laços, já que ele voltará várias vezes para fazer contato com você.

Uma estratégia que se assemelha é a dos planos de fidelidade, que também aumentam o engajamento, por oferecerem benefícios diferenciados. Em todo caso, o principal é que essa também é uma modalidade que pode ser aproveitada por dois ângulos.

Além de acelerar as vendas e o engajamento, você consegue monitorar a aprovação que está sendo recebida, o que é importante em qualquer segmento. Mesmo que você venda cones de sinalização ou um produto de vida útil maior, o feedback é importante.

Afinal, não se trata apenas daquele cliente que comprou com você, ou de quando ele voltaria a comprar, mas das pessoas que ele pode ou não indicar. Portanto, é fundamental fazer o acompanhamento constante sobre o que é dito da sua marca.

Além de poder melhorar os pontos negativos, isso vai demonstrar idoneidade. Com isso vemos como é possível aumentar e muito o engajamento do seu e-commerce, com estratégias que podem entrar em prática agora mesmo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.