Ter uma boa gestão para e-commerce é tão importante quanto ter uma boa gestão para uma loja física. Não basta apenas disponibilizar os produtos na plataforma, é preciso ter uma série de cuidados para que eles funcionem bem.

Nas lojas físicas, o perfil dos compradores é muito parecido, o que não acontece na loja on-line. Por ter um alcance muito maior, que ultrapassa o território brasileiro, diferentes perfis de compradores aparecem, além de serem mais exigentes.

Sem falar que essa modalidade de compra tem crescido muito e que seus adeptos são menos pacientes, necessitando de um atendimento personalizado.

Esse crescimento se deve ao fato de se tratar de uma modalidade de compra e venda mais confortável e que permite que os clientes encontrem tudo aquilo que precisam.

Ou seja, você pode comprar o que quiser, quando quiser e encontrar opções que muitas vezes não encontra em uma loja física. Mas tudo isso só é possível se a loja on-line for bem administrada.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o que é gestão de e-commerce, as diferenças entre ela e a gestão de loja física, e também vamos dar algumas dicas para gerir bem essas plataformas.

O que é gestão de e-commerce?

As plataformas e-commerce são comércios eletrônicos que visam comercializar produtos e serviços pela internet e receber pagamentos on-line.

Para funcionar, pode usar um site próprio ou vender pelo que chamamos de marketplace. São como shoppings virtuais, que possuem gestão de entregas, reunindo os mais variados produtos e serviços.

A gestão desse tipo de comércio abrange todos os procedimentos necessários para administrar os negócios de forma on-line. Por isso, possui características próprias e desafios condizentes.

Em outras palavras, esse tipo de gestão em muito se difere da realizada nas lojas físicas. Por exemplo, a forma de pagamento em um ponto de venda físico pode ser em dinheiro, já no comércio eletrônico, isso não é possível.

A legislação vigente também é diferente para cada uma, uma loja tradicional respeita o código de defesa do consumidor, as plataformas, por sua vez, também respeitam, mas devem atender ao decreto 7962 e legislações específicas.

As formas de divulgação também mudam, pois uma loja dentro de um shopping pode fazer propagandas na TV, usar recursos no ponto de venda, etc. As lojas pela internet dependem exclusivamente de recursos na web, como propagandas nas redes sociais.

Se você comprar uma roupa em uma loja física, já sai do estabelecimento com a peça, mas se comprar no e-commerce, deve esperar até que o produto chegue.

Ambas precisam de um bom sistema erp para se manterem competitivas no mercado. Mas mesmo assim ainda possuem outras particularidades que se diferem, como:

  • Modelo de compra;
  • Experiência com o produto;
  • Horário de funcionamento;
  • Tipo de atendimento;
  • Políticas de troca.

Em vista de todas essas diferenças, é importante saber empregar os recursos certos na hora de gerir um comércio eletrônico. No tópico a seguir, daremos algumas dicas, confira.

Dicas para gerir uma loja virtual

Para fazer um e-commerce dar certo, é preciso administrá-lo bem, mas respeitando suas características e necessidades. Sendo que algumas maneiras de fazer isso são:

Escolher uma boa plataforma

As lojas físicas precisam escolher um ponto comercial adequado e bem localizado para receber seus clientes.

As lojas físicas, como as que vendem camisetas promocionais, também precisam desse cuidado, escolhendo uma plataforma simples, fácil de ser usada e que não prejudique a experiência do consumidor.

Algumas funcionalidades precisam estar presentes, como check out simplificado, meios de contato para o cliente e carrinho de compras.

O site não deve ser lento, as imagens precisam de boa resolução, é preciso evitar uma quantidade excessiva de anúncios e escolher bem a cor, o tamanho e a fonte das letras.

Ter layout atrativo e simples

A plataforma usada precisa atrair os clientes, por meio de um design chamativo, personalizado e simples. Essas características permitem que os clientes naveguem com facilidade, o que é muito importante para a decisão de compra.

É importante pensar na personalização do site, assim como fazem as empresas de alimentação. Ele deve incluir as cores e o logo da empresa, tipografia e outros recursos de comunicação visual que representam a marca da plataforma.

É dessa forma que a loja virtual consegue criar uma identificação afetiva com o público e torná-lo mais confiante para a compra.

Monitorar resultados de venda

Mensurar os resultados é fundamental para qualquer tipo de negócio, e no caso das lojas virtuais isso é feito pelo número de vendas.

Existem várias maneiras de acompanhar os resultados, por exemplo, avaliando o número de visitas ao site e às redes sociais, como está o engajamento do público, o tempo que o visitante permanece na página, etc.

Interações com potenciais clientes também devem ser monitoradas, pois é dessa forma que o negócio descobre quantas dessas interações se converteram em vendas. No final, esse resultado vai ajudar a adotar as melhores estratégias.

Buscar feedback dos clientes

As lojas on-line têm a vantagem de poder receber feedback dos clientes constantemente, sendo que isso é muito importante para os negócios.

Uma fabrica de etiquetas adesivas incentiva esse comportamento em seus clientes e as lojas virtuais devem fazer a mesma coisa.

Após a venda de um produto, envie um formulário para o e-mail do cliente com algumas perguntas. Para garantir que ele participe, ofereça um bônus, como um desconto na próxima compra, por exemplo.

A interação com quem compra na plataforma também é um recurso importante para aumentar a proximidade. Um bom canal para fazer isso é por meio das redes sociais, além de recursos no próprio site, como caixas de perguntas e enquetes.

Investir em Marketing Digital

Quando estamos abrindo uma loja física, as pessoas acompanham esse processo de certa forma, por exemplo, vendo a loja ser montada, a inauguração, etc.

Ou seja, todo mundo que passa em frente a loja tem sua atenção captada por esse processo. A loja virtual não tem a mesma possibilidade, por isso não adianta apenas criá-la e esperar que os clientes apareçam.

Se para uma fabrica de caiaque as ações em marketing digital são importantes, para as lojas virtuais são ainda mais.

Para investir nessa prática existem duas opções, sendo uma estudar sobre o assunto e escolher as estratégias que usará, e a outra contratando um profissional que cuide de toda essa parte.

Só que mesmo que você escolha a segunda opção, ainda precisa ter alguns conhecimentos básicos para ficar de olho nos resultados.

Outro ponto que devemos lembrar é que apenas o site da loja não é o suficiente, é preciso ter perfis nas redes sociais, como Facebook e Instagram, além de também vender por marketplace, para atrair um número maior de pessoas.

Bom preço e frete justo

Tanto uma distribuidora de material hospitalar quanto qualquer outra empresa precisa ter uma política de preços justa. Mas quando se fala nas lojas e-commerce, isso é ainda mais importante.

Os consumidores procuram essas lojas também por conta dos preços que, geralmente, são mais vantajosos do que nos estabelecimentos físicos.

Na hora de colocar o preço nos produtos, é necessário levar isso em consideração, pois se você não fizer, seu concorrente direto fará.

Tendo em vista que os buscadores, como o Google, estão cada vez mais refinados na hora de comparar preços, o cliente vai analisar as ofertas em diferentes lojas, com apenas um clique.

Além de ter um bom sistema de estoque, é preciso se atentar a essa realidade, uma vez que independentemente do que o consumidor esteja buscando, ele vai encontrar diferentes opções, preços e em lojas variadas.

Ele pode começar pelos mais baratos e ir avaliando as especificações de cada produto, daí a importância de se atentar, também, às possibilidades do mercado. O ideal é oferecer um bom preço e com frete grátis.

Atenção à concorrência

Por falar nas possibilidades de mercado, é crucial separar um tempo da semana para acompanhar o mercado como um todo. Com isso, descobrimos como a concorrência está trabalhando, suas falhas e seus diferenciais.

Essas informações são importantes para que você possa avaliar as ações do seu negócio, mas nunca devem ser copiadas ou usadas para concorrência desleal.

Conclusão

Apesar de as lojas virtuais estarem em alta, devemos saber administrá-las para que possam se manter ativas e competitivas no mercado.

Muitas pessoas estão preferindo essa modalidade de compra e venda, mas a cada dia surge uma plataforma para vender os mesmos produtos que você.

Fazendo uma boa gestão, você se mantém aos olhos do consumidor e mostrando para ele que tem as melhores soluções para o dia a dia e as necessidades que aparecerem.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.