O termo dropshipping está se tornando muito popular entre os gestores, comerciantes digitais, influenciadores midiáticos, mas principalmente entre os investidores do mercado eletrônico referente à logística e e-commerce. 

Este termo vem do inglês (drop) que significa abandonar, e (shipping) que tem como tradução ‘expedição’, este conceito parte do pressuposto que designa uma estratégia de gestão, a responsabilidade é ter a entrega transferida do vendedor a terceiros. 

Por isso, no dropshipping, o vendedor anuncia qualquer produto sem que tenha no estoque, inicialmente parece uma ideia um pouco sem lógica, mas na prática é mais fácil de entender como realmente funciona.

Entenda melhor como é o funcionamento do dropshipping

Pense que uma empresa lojista de produtos de limpeza, por exemplo, que faz parceria com uma outra, não necessariamente tem os seus produtos enviados por ela, mas sim por intermédio de um fornecedor de material de limpeza

Logo, não necessita de um grande investimento para que haja estoques. Isso porque é da responsabilidade do lojista atrair os clientes a sua loja, receber os pedidos e então repassar aos fornecedores parceiros, retendo sua parcela sobre o valor da venda.

Em contrapartida cai sobre o vendedor a responsabilidade e qualquer problema com a entrega e a compra de produtos, ou seja, o fornecedor acaba ficando isento de qualquer situação ruim.

Logo por meio dessa estratégia é necessário uma boa escolha de fornecedores confiáveis e experientes, já que eles são determinantes para a experiência do cliente e a imagem que a loja transmite.

Atualmente empresas de grande, médio e pequeno porte já têm aderido a essa técnica, sobretudo quando a logística exige uma operação mais complexa de altos custos, vendo que a gestão nas mãos de um fornecedor parceiro desprende a ideia de ganhar eficiência em todas as etapas do processo. 

Ademais, a integração entre as empresas passa a se tornar melhor e mais controlável diante da visibilidade dessa corrente alternativa, reduzindo as operações excessivas.

Por parte do comércio eletrônico, uma empresa de ar condicionado, como exemplo, faz essa realidade acontecer rotineiramente e cresce constantemente, a fim de que o vendedor faça a montagem da sua loja virtual.

Ou seja, ele acaba deixando os produtos disponibilizados, e em seguida realiza uma venda, assim, o pedido é encaminhado aos fornecedores, bem como é finalizado o processo com a entrega do pedido. 

Aproveitando essa categoria, muitos novos microempreendedores individuais acabaram atribuindo ao marketplace para anúncios de produtos sem necessariamente ter que investir em um site próprio de vendas. 

Já que a maioria dessas plataformas não exige um investimento inicial muito alto, bem como só é cobrado quando o item é vendido, por isso o lucro vem da diferença dos preços que são cobrados na loja virtual e o valor que o fornecedor cobra por cada produto. 

Como aplicar de maneira correta essa metodologia

Para aplicar a metodologia de forma correta, seja em uma empresa de engenharia civil ou em um negócio autônomo de distribuidor de baterias, é preciso ficar atento a diversos detalhes que fazem parte da estratégia.

Principalmente para evitar o que é comum no dropshipping, o não cumprimento do prazo de entrega, mas que de fato só ocorre se não houver uma precisão de fluxo do pedido e oferta de prazos devidamente alinhados às expectativas de entrega com os clientes. 

A variação é de empresa para empresa, mas geralmente funciona dessa forma; primeiro é feito uma parceria contratual entre a empresa vendedora e o fornecedor de produtos (preferencialmente os de confiança). 

À fim de organizar os anúncios das mercadorias, fazendo a integração com o meio de pagamento mais viável (cartão de crédito, pix, cartão de débito) e o recebimento dos produtos. 

Já os fornecedores são responsabilizados pelo armazenamento dos produtos em estoque e a finalização com a entrega correta dos serviços aos clientes. 

O funcionamento da loja se dá após o contrato, sendo o primeiro acesso feito pelo cliente à loja, seu pedido e pagamento verificados com o prazo de entrega (acordado com o vendedor, anteriormente).

Assim que recebidos os pedidos, são respectivamente passados aos parceiros de dropshipping, geralmente os próprios fornecedores. 

Em procedimento, o parceiro que tem um armazém geral com os produtos estocados, também pode ser o que se encarrega de verificar o pedido corretamente, embalar para o envio, bem como finalizar enviando para os clientes.

O que é em comum entre as empresas é o pós-venda, então, caso haja a necessidade de logística reversa, (troca/devolução) é com o vendedor que o cliente faz o contato, passando as informações necessárias referente ao pedido, com isso é repassado para o fornecedor recebendo o produto devolvido e efetuando a troca. 

Sem que haja esse procedimento de troca, o dropshipping é invisível ao consumidor, ficando perceptível apenas quando se verifica na nota fiscal o nome das duas empresas, logo uma é diferente da outra, que é apenas vendedora.

Conheça os benefícios da estratégia

É possível dizer que o dropshipping pode apresentar diversas vantagens, sendo que entre as principais estão as seguintes:

  • Baixo investimento e economia no armazenamento;
  • Escalabilidade;
  • Gerenciamento de vendas em qualquer lugar do mundo;
  • Estabilidade e benefícios;
  • Variedade de produtos.

O investimento destinado a compra de produtos que integrarão a loja virtual, possui aspectos de vendas específicos, entre a sazonalidade, comparado ao e-commerce tradicional, os riscos são menores e a necessidade de uma equipe é bem reduzida. 

A ampliação da operação consiste em mais investimentos em estoque, mais contratos com transportadoras, locação de lugares maiores para o armazenamento dos produtos, e assim por diante. 

No entanto, com a escalabilidade, a pretensão é com uma plataforma direcionada a esse serviço em específico de alta performance com um servidor de qualidade.

Assim, as empresas que desenvolvem softwares são bastante solicitadas nesses casos, pois é possível atender ao aumento da demanda mais simples. 

A mobilidade para o vendedor é garantida, pois fica mais simples diversificar os produtos, inclusive é menos demanda para acompanhar as tendências atualizadas do mercado que acontecem quase de forma instantânea. 

Entre os benefícios logísticos, alguns fretes de entrega podem acontecer de um jeito mais barateado, dependendo da localidade da armazenagem, mais uma vantagem entre as parcerias. 

Com o funcionamento de apenas uma loja virtual, é possível adotar diversos parceiros que vendem os itens no mesmo ambiente, não estando tão limitada quanto ao orçamento de compras de produtos e espaço físico.

Pontos de atenção ao adotar o dropshipping

Mesmo com tantas vantagens, é necessário estar de olhos em alguns pontos, principalmente para evitar problemas e dores de cabeça no futuro. Entre os principais estão:

 Controle de qualidade;

  • Grande concorrência; 
  • Baixa margem de lucro;
  • Menos autonomia;
  • Riscos para a imagem/marca.

De fato as chances de controle de qualidade se tornam menores devido à inclusão de novos produtos terceirizados.

Na prática, é vendido produtos um a um, o que ao mesmo tempo diminui riscos de prejuízo, também diminui a margem de lucro em consequência da competição ser mais intensa, pois o mesmo fornecedor terá contratos com outras empresas que tenham os mesmos produtos.

Por isso, comparada a outras modalidades de empreendimento, a busca por se diferenciar entre os nichos pouco explorados, deve ser mantida desde o início como uma ideia a ser exercida com fundamento e atenção.

A perda parcial do controle de vendas pode implicar diretamente ao comerciante, contando assim apenas com o processamento e envio das informações entre o pedido e o fornecedor.

Dessa maneira, abrindo uma lacuna na operação, que pode ser futuramente um prejuízo, o que se destina tanto para uma empresa de esquadrias de alumínio iniciante ou mesmo uma loja qualificada e bem posicionada no mercado. 

Por não ser da responsabilidade do lojista a separação, o encaminhamento das mercadorias fica mais vulnerável às operações de controles.

Logo a qualidade de logística do empreendimento age com grandes potenciais em atrasos de entrega, erros no envio dos produtos, defeitos que podem afetar diretamente a marca e a valorização do e-commerce ou uma fábrica de móveis de alumínio que aderiu a esta modelagem.

Diferenças entre dropshipping nacional e internacional 

Através dos fornecedores chineses é bastante comum essa prática, apresentando a grande variedade de produtos a preços baixos, logo a comercialização desses produtos pela internet pode ser tanto inviável quanto rentável, dependendo das pretensões de cada negócio.

O tempo de entrega pode ser mais demorado e desgastante para ambos os lados, o que deixa a margem para os clientes solicitarem reembolso, sendo nada rentável, além do processo burocrático que é a liberação na Receita Federal, por se tratar de uma longa viagem feita de navio com esses serviços. 

Com uma média de vinte dias para serem levados ao Centro Internacional dos Correios, consequentemente dependendo da modalidade escolhida pelo consumidor, muitas vezes acontece de não haver o rastreamento, assim o risco de extravio é muito alto.

Com o segmento, empresa de jardinagem, ou mesmo empresas com experiências vividas com o dropshipping tomam como opção revender produtos nacionais, tendo o compromisso de entrega mais eficaz e a garantia da idoneidade com o lucro esperado.

Gerando a insatisfação do cliente que podem acionar o Código de Defesa do Consumidor, causando mais dor de cabeça ao vendedor e não ao fornecedor, por isso a escolha de fornecedores ou fabricantes nacionais é maior nos buscadores e mais interessante em termos de lucros. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.